domingo, 7 de outubro de 2007

São José dos Campos ,25 de setembro de 2007.

“Sindicato Nacional Aeroespacial” e “Carreira Aeroespacial”.

Realidade.

Manifestando nossa indignação com nossos representantes sindicais, e deixando
registrado que esta dificuldade de negociação com o governo federal é fruto de
incompetência , falta de prestígio e desgaste generalizado em todas os níveis,
proponho fazer uma análise e reflexão sobre o que virá pela frente nestas
“negociações” e indicar um rumo, um norte.
Tivemos em nos últimos anos, demonstrações de que o governo somente
prestigiaria carreiras específicas e para tanto, aguardariam e incentivariam
que muitas carreiras inchadas fizessem desmembramentos e a criação de novas
carreiras específicas.
E a partir deste momento o governo trabalharia cada uma delas pelo seu grau de
importância estratégica , iniciando discussões sobre reestruturação da
carreira como um todo, passando pela questão salarial.
Atendo-se apenas no funcionalismo público federal, e está claro que o aviso
foi
dado pelo Governo Federal, pois a partir deste momento iniciaram-se disputas de
poder entre Sindicatos e Associações em todo o País e em diversas carreiras.
Somando-se a tudo isso, devemos lembrar da existência de outro componente
importante:”A Reforma Sindical”.
Sindicatos e Associações querendo mostrar força perante o Governo Federal
insistiram em manter certas carreiras, como é o nosso caso, “a Carreira de
C&T”. Mantiveram posições, contrariando a orientação da” CUT” e no nosso caso
a” CONDSEF”. O resultado disso é o que estamos assistindo, uma negociação
longa, fraca e com apoios que não conseguem romper estas barreiras.
Mesmo o apoio do Ministro de C&T parece não existir e de outros ministérios
acumulam-se vários avisos, mas sem efeito prático.
Parece-nos que nesta disputa os maiores ganhadores foram os servidores do
INMETRO, FIOCRUZ, IBGE e INPI e seus respectivos representantes sindicais
pois colocaram em primeiro lugar os interesses de seus representados e a
criação de novas carreiras com melhores salários e optaram estrategicamente
pela criação de sindicatos Nacionais.
Devemos entender, que cada um deles partiram para uma representação direta com
o
Governo Federal através da criação de Sindicato Nacional, ou seja, hoje tem
representantes na Mesa de Negociação Nacional sem necessitar de
intermediários.
A criação de um “Sindicato Nacional de C &T ou na área Aeroespacial com
a
criação da Carreira Aeroespacial” , parece-nos viável e necessária, pois só
assim seremos respeitados em nosso trabalho.
Fazendo um breve lembrete, seria interessante e oportuno nossos representantes
sindicais publicarem qual a justificativa do Ministro de Ciência & Tecnologia
sobre a saída destas Instituições , considerando que em função de “Boatos” no
CTA (publicado no informativo 23) ele não teria como justificar ???? Justificar
aquilo que não tem justificativa????
Não se trata de boatos, mas coragem de promover tais mudanças, apresentar
estudos e argumentações que se sustentariam pela própria importância de nosso
trabalho em nossas Instituições, CTA e INPE.
Mas percebemos que existe algo estranho no ar, outros interesses , disputas de
poder e espaço com representantes da área Federal, Estadual e Municipal.
Uma disputa que deixa-nos vulneráveis em momentos que deveríamos ser fortes,
parece-nos estratégia daqueles que não tem compromisso verdadeiro com nossas
reivindicações mas de apenas de vaidades eleitoreiras, partidárias , e
pessoais.
Basta !!! Chega de hipocrisia, queremos que verdadeiros representantes
compromissados com nossa categoria ocupem as cadeiras de negociação,
apresentem nossa verdadeira situação, nossas angústias e decepções com um
Governo que não sustenta aquilo que fala e não é claro naquilo que quer.
Que falem , gritem palavras de ordem e respeito mas falem a verdade tanto nas
mesas de negociações como nas assembléias da categoria.
Acreditamos existir um caminho a seguir: “Queremos um Sindicato reformulado,
sem
vícios petistas ou partido algum, um “Sindicato Nacional Aeroespacial” e uma
carreira com melhores condições de salários, valorizando o trabalho realizado
no CTA e INPE , queremos a criação da “Carreira Aeroespacial”.

Participe desta proposta, discuta com seus colegas!!!!
Vamos tornar real, está em nossas mãos estas mudanças!!!
Vamos dar um basta, vamos exigir !!!!


LAMENTÁVEL!!! NÃO É BOATO!!!!”

“EXPLIQUEM SE PUDEREM, O POR QUE DO AUXÍLIO SAÚDE DO INPE É MAIOR DO QUE DO CTA
E ATÉ ESTE MOMENTO O SINDICATO NÃO TOMOU NENHUMA PROVIDENCIA!!!!
PODEMOS ENTENDER, MAS NÃO ACEITAMOS O SILÊNCIO, O DESCASO!!!”


“Informativo 24 “ Fórum de C&T


Ao ler o informativo deparamos com uma situação curiosa e interessante e
notamos uma “dificuldade “ de nossos representantes em “entender” a
utilização das palavras citadas pelo Secretário do SRH / MPOG , Sr” Duvanier
Paiva “Evoluir e Evolução”.
E resolvemos contribuir humildemente, enviando o significado destas palavras,
esperando desta forma contribuir para a evolução de um ” Sindicato Nacional
Aeroespacial e uma Carreira Aeroespacial” .

e.vo.lu.ir
v. Intr. 1. Executar evoluções. 2. Passar por uma série progressiva de
transformações.

e.vo.lu.ção
s. f. 1. Ato ou efeito de evoluir. 2. Progresso paulatino e contínuo a partir
de
um estado inferior ou simples para um superior, mais complexo ou melhor. 3.
Transformação lenta, em leves mudanças sucessivas. 4. Sociol. Progresso ou
melhoramento social, político e econômico, gradual e relativamente pacífico, em
contraste à mudança violenta, à revolução. 5. Biol. Processo pelo qual, através
de uma série de alterações gradativas, a partir de um estado rudimentar, todo
organismo vivo ou grupo de organismos adquiriu os caracteres morfológicos ou
fisiológicos que o distinguem. 6. Qualquer movimento destinado a efetuar um
novo arranjo, pela passagem de uma posição a outra, dos componentes de um grupo
(dançarinos, patinadores etc.). 7. Bot. Desenvolvimento, crescimento sucessivo
dos órgãos vegetais.

Fonte: Dicionário Michaelis

Nenhum comentário: